A Voz do Povo

Anuncie Aqui

sexta-feira, 1 de junho de 2012

De volta para minha terra sem a minha casa

O jornal a voz do povo traz uma matéria muito intrigante que mostrar claramente como é investido o dinheiro publico, investimento sem planejamento e sem respeito com quem vive lá.
Em pouco tempo o jornal a voz do povo percebe que há muita divergência em concentrar esse grupo para uma reivindicação direta, o movimento mostra claro a individualidade para permanecer no terreno. Existem pessoas que esta crendo que ajuda de custo é ate eles receberem os apartamentos e que leve o tempo que quiser. A higiene é bem precária os esgotos passam dentro de uma casa para outra e vivem como bichos em um presente bem real, mas com um futuro incerto. Essas pessoas são migrantes que vieram tentar a sorte no estado de São Paulo em busca de sonhos como muitos alguns se deu bem, mas outros não foram bem sucedidos e aguarda o dinheiro da proposta da subprefeitura para voltar para a sua terra natal. Em alguns casos tem crianças com doenças respiratórias, ate com hepatite, não existe água encanada para todos e eles recorrem para uma água quem vem da mata e nem sempre supre a necessidade de todos que também não tratamento.
Céu Paz localizado no Jd Paraná é palco de um cenário completamente de produzir miséria é triste em uma cidade como São Paulo a terceira maior do mundo. O pior fator de uma luta é quando temos que conviver com os covardes Esses sem teto o jornal pode ver que a subprefeitura pagou e os que receberam saiu mas acabou voltando para o mesmo lugar que é uma área de risco onde esta sendo desapropriado ou invadindo a mata da Cantarei com novas construções de barracos financiado pela subprefeitura e com isso um círculo vicioso de vai e volta e o dinheiro publico jogado no ralo. O Jornal a Voz do Povo percebemos que alguns Barracos não têm ninguém morando ha não ser algumas panelas e roupas velhas ou alguém tomando conta aguardando o dia da indenização, alguns barracos que já foi indenizado são vendidos para outros também receberem os beneficios.
Algumas querem mesmo o dinheiro para resolver as suas vidas e precisa de um lar, de um endereço como o caso de muitas famílias que entrevistamos. Entre as vielas e barracos podemos perceber o cheiro por causa do esgoto a Céu aberto onde é palco de muitas crianças se divertirem brincando com a água dos esgotos. O coordenador da habitação da subprefeitura freguesia do Ó Brasilandia sabe bem que esse dinheiro poderia ser aplicado em um projeto de moradia com mais respeito a essa gente. O povo não quer dinheiro, eles querem um endereço somente um endereço. Essa verba é um financiamento para desmatar a Cantareira. Como fala claramente nas entrevistas. A Subprefeitura ta precisando contratar um coordenador que não só cumpre ordens, mas que seja compromissado com a luta dessa gente de verdade. Um “coordenador de habitação compromissado em defender as causas sociais e que não se preocupa com estatos e seu emprego”. É preciso trocar toda essa gente que fica brincando de casinha na secretaria de habitação e patrocinando com o dinheiro do povo o desmatamento em larga escala na mata da Cantareira região norte.
É preciso ter na secretaria da habitação um secretario com vontade de realizar os objetivos sociais ao invés jogar no ralo o dinheiro do nosso povo como uma forma de forçá-lo a voltar para a sua terra ou sair de um lugar e invadir outro. Colocar um secretario e um coordenador que não brinca de casinha, mas que cumpra com o seu dever social. Esse dinheiro que é espalhado para essa gente não resolve o problema de habitação só causa transtorno fortalecendo essas pessoas a invadir a mata da Cantareira como esta acontecendo nessa. A subprefeitura tem feito muito nessa região através da pessoa do Valdir Suzano quem tem olhado com carinho as demandas dessa região. O Jornal a Voz do Povo sabe das dificuldades em administrar uma área imensa como essa da Brasilandia. Que era sempre esquecida pela gestão passada como já foi relatada em outras matérias essa subprefeitura trocou de subprefeito como se fosse camisa e muitos não tiveram chance de atender as demandas. Mas é preciso olhar com mais atenção o dinheiro que é destinado às áreas de risco e resolver a situação de moradia e ocupando melhor a área desocupada para evitar novas invasões. Sr: Valdir Suzano estão depredando a mata invadindo e cortando arvores com o dinheiro da subprefeitura usado para retirar pessoas das áreas de riscos e tudo isso ta acontecendo debaixo do nariz da subprefeitura. Veja com a reportagem que preparamos para você amigo leitor. Eu falo mesmo! Jair Ribeiro (Juquinha)

3 comentários:

  1. Muito boa reportagem. è preciso que se dê casa para essa gente e de forma que não possam vender e voltar porque, assim como alguns receberam o dinheiro (q aliás deve ter sido tão pouco q não dava sequer p voltar as suas origens, enfim, alguns, infelizmente, recebem a voltam a situação de risco e é sabido que alguns receberão casa e venderão para voltar a mesma situação. Há que se cuidar da educação porque isso é cultural, haja visto que muitos não tem sequer, noção de higiene no que poderia fazer por si e pela familia. Não adianta remanejar ou dar um "dinheirinho" é preciso dar moradia, educar e lhes dar condições de trabalho digno, etc.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pela matéria eu gostei de ve-la mais acho que não adiantará muito pois cada uma das quase 200 milhões de pessoas desse país sabe que isso acontece, acredito que o que falta é informação, tipo, como a corrupção acontece e porque as coisas são assim, o povo precisa entender que a mídia, governo e tudo mais estão contra nos. O governo asfalta uma rua e o povo fala, 'nossa o governo ta de parabéns' quando na verdade É OBRIGAÇÃO ele asfaltar as ruas.

    Ainda vou fazer vídeo falando sobre corrupção e um tipo de tutorial ensinando as pessoas a pensarem por si própria, pois a própria mídia ensina as pessoas a fala mau do governo e as pessoas pensam que isso é uma coisa boa, quando na verdade não é. Só fica reclamando não adianta em nada, é preciso pressão, é preciso força e em último caso a violência. Tentar fazer algo é suicídio pois vários influentes poderosos morreram na ditadura quando se opois ao governo, qm seria eu perante a eles.

    ]As pessoas nunca fazem nada, essas pessoas, inclusive eu, carregamos os governantes nas costas. Eles fazem o mínimo para que os alienados falem 'ta bom', tem escola, pode estar toda quebrada e ferrada, mais tem escola então 'ta bom'. Essas pessoas ao invés de fica sofrendo deveriam sair na rua e cobra do governo mesmo que seja na violência como aconteceu antes da ditadura. Antes da ditadura a elite viu que a 'mamada' ia acaba e teve que acontecer o golpe militar. É né, poxa vida ;x

    Primeiro, essas pessoas nem deveriam estar aí, o pessoal 'invade' morros, lugares inapropriados depois alaga tudo, desmorona, não tem luz nem água e a culpa é do governo. NUNCA a culpa é do governo, sempre é do povo. O que essas pessoas estão fazendo? Nada, simplesmente quando alguém pergunta como é a situação elas reclamam, quando deveriam cobrar seus direitos, sair na rua e exigir os seus direitos e se não der em nada partir para a violência e não votar nos políticos atuais da região.

    ResponderExcluir
  3. boa tarde, preciso falar com vc , estou querendo fazer uns projetos sociais ai no parana e na fazendinha
    meu tel. vivo - 973778302 tim - 952509172 - claro - 988981713
    estou no aguardo

    ResponderExcluir

Veja os Telefones Uteis Clicando aqui

Cantinho do Leitor